terça-feira, 15 de novembro de 2016

O PIB do 3.ºT de 2016, a realidade e as previsões da Universidade Católica

Foi o Diabo! A direita hoje levou um murro no estômago. No ‘site’ do INE, pode ler-se:
O Passos ficou endiabrado de desespero. Mas sorumbático. O Montenegro caiu nas trevas, do cume ao sopé. O Marco António lamentou para a Cleópatra, Maria Luís. Esta argumentou que o INE errou.
É esta a gente de direita que temos, com quem a Universidade Católica, de ‘Opus Dei’ e Jesuítas, alinha na trampolinice, comportamento que acasala no som com Trump, o herói do populismo, da xenofobia e do racismo. 
É bom que se lembre que, ainda ontem, na imprensa, Jornal de Negócios salvo erro, se referia o prognóstico desse antro de abjectos estudiosos da UCP/NECEP. Lembro a previsão:
Frequentei a UCP durante três anos. Sei do que falo e de quem falo. O rigor exigível a um académico é distorcido continua e propositadamente por um corpo docente na maioria fanático e de direita. Sem respeito pela exactidão científica.
A superioridade do saber e do ensinar é, em muitos dos professores, uma falsidade. Disfarçada, em muitas disciplinas, por propaganda política e falta de imparcialidade. Não me surpreende que as previsões da UCP/NECEP, na véspera, tenham sido anunciadas nos jornais com 0,2% do acréscimo em cadeia e 1,0% para o período homólogo – os valores reais foram bastante acima: 0,8% e 1,6%, respectivamente. No período homólogo, i.e., relativamente ao 3.º T de 2015, a UCP, através do NECEP, previu apenas 60% do resultado efectivo.
Creio que estes factos e mentiras, como muitos outros fenómenos e comportamentos no seio da Universidade Católica, deveriam envergonhar a equipa incompetente de professores e eventuais assistentes, tão arrogantes no trato que ousam ser gente desonesta, insensata e dotada de enorme imbecilidade.
Como augura o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, oxalá a economia caminhe neste trilho de sucesso até ao final do ano. Para bem do País.