segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Les Feuilles Mortes Yves Montand

A partir de certa fase na vida, somos aprisionados por ‘saudades’, esta palavra mágica, exclusivamente portuguesa. Sumária mas de sensibilidade extrema, a palavra traz-nos à memória o passado – desse protegemos  os momentos felizes com o afecto idêntico ao de quem cuida de filigranas em que se transformam um passado remoto, emocional e que dificilmente nos sai da alma.
É Outono. O dia está soturno. Percorro a rua. Atento na tristeza de quem, vivendo o presente, parece reviver em silêncio episódios de felizes pretéritos, de que ‘as folhas mortas’, caídas no solo, constituem fiel metáfora.

Metafórica, igualmente no sentido de um tempo que se viveu com felicidade, segundo os meus sentimentos, é a canção ‘Les Feuilles Mortes’, interpretada por Yves Montand: