quinta-feira, 19 de março de 2015

As quedas do 'Very Ignoble People', autores da lista VIP

A queda

O topo da Autoridade Tributária e Aduaneira, passo a passo, vai caindo. Ontem foi o Director-Geral. A imprensa de hoje dá-nos conta de que o subdirector-geral, José Maria Pires, também pediu a demissão. E a ministra aceitou, que remédio! Motivos: a lista VIP confeccionada pelos dirigentes da AT e a política de perseguição a funcionários que consultaram dados dos protegidos. Estranha-se a ignorância do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, mas deixemos o tempo correr.

A ignóbil protecção dos VIP (desta feita, mesmo Very Important People), além de inconstitucional, é um acto com as características das políticas das sociedades africanas, subdesenvolvidas, tipo Guiné-Equatorial que, em cerimonial político em que Cavaco Silva participou, se tornou país nosso parceiro na CPLP.

As quedas, até agora, têm tido um sentido hierárquico descendente. Esperemos, todavia, que esse sentido se inverta e caiam também os de cima, ao menos o Secretário de Estado que manifestamente faltou à verdade, como Passos Coelho, e tentou arranjar um estratagema para proteger os políticos, empresários, gestores e até outros notáveis como o também demitido Relvas, Salgado, Mourinho e Ronaldo - estará lá também a Dona Dolores?

Como o Paulo Núncio é pesado, segundo a 'lei da queda dos corpos', definida originalmente por Galileu Galilei e revista depois por Isaac Newton, temos de arranjar algo solidário e lembrei-me da seguinte solução: