quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Leia Saramago por outro caminho

Pilar del Rio e Violante Saramago Matos, herdeiras de Saramago cortaram relações contratuais com a Caminho, uma das editoras integradas no grupo livreiro Leya.
O citado grupo é dominado pelo 4.º conde de Alferrarede, Miguel Maria de Sá País do Amaral, filho, por sua vez, do 7.º conde da Anadia, Manuel José Maria de Sá Pais do Amaral.
Bem, é uma baralhada de Marias, Pais e Amarais, somente susceptível de ser decifrada à custa de persistentes esforços mentais. No final de tanto reflectir, concluímos são ambos Maria mas masculinos; ambos Pais mas um é filho; e Amaral é o apelido que aos nomes serve de ponto final.
Dos títulos nobiliários, também se extrai interessante conclusão.  Sendo Miguel o actual 4.º conde de Alferrarede e filho do Manuel, 7.º conde da Anadia, fica a saber-se que, na competição de condados, a terra do espumante e dos leitões destaca-se à frente da localidade dos azeites: Anadia 7 – Alferrarede 4, entre condes Amarais.
As herdeiras do Nobel da Literatura, homem republicano, reafirmamos, disseram não à continuidade do percurso da ‘Caminho’ pelo itinerário da nobre Leya.
Certamente tiveram razões para renunciar o contrato de 29 anos entre o saudoso escritor e a Editorial Caminho. Nas quase três décadas, apenas há seis anos a Leya se atravessou na Caminho. E Miguel Pais do Amaral, também competidor automobilístico, é conhecido por, no mundo de negócios, usar poderoso carburador-sugador que, como o eucalipto, seca tudo à sua volta.
O grande escritor, em Portugal e no mundo, continuará a ser lido por milhares. A potenciais leitores apenas  me permito aconselhar: “Leia Saramago por outro caminho".