sábado, 9 de novembro de 2013

A ‘swinger dos swaps’, o Moedas ou o governo díssono

 

A ‘swinger dos swaps’, mulherzinha sem credibilidade, botou palavra em Viseu, terra do poderoso cavaquistão, para afirmar:

“Orçamento do Estado para o próximo ano é o adequado para cumprir o programa da troika.”

Precisa nos fundamentos da governação, citou que as medidas previstas no orçamento são equitativas, abrangentes e estritamente necessárias, Pudera são impostas pelo programa da ‘troika’ e as avaliações que se lhe seguiram – a 7.ª em particular.

A prova de que Portugal está entregue a garotos, para quem a verdade não é valor inalienável, está na contradição entre aquilo que a Albuquerque acaba de dizer (cumprir o programa da troika) e as declarações públicas do Moedas, ao garantir por exemplo:

“… o Governo prefere aumentar a competitividade do país pela qualidade e não pela redução de preço da mão-de-obra.”

O memorando da troika, em termos de transformação das leis laborais, é bem explícito, na permissividade das condições para o desemprego, a precariedade e outras flexibilidades que tais.

Os resultados das referidas são conhecidos: desemprego, artificialmente calculado, e promoção de emigração maciça.

Em termos de respeitar a verdade, este governo é um desastre (até o ‘irrevogável’ é sinónimo de ‘revogável’. Para completo descrédito do que dizem, a dissonância e as entropias da comunicação são mais do que muitas.

Não prestam. Não prestam, mesmo. Chamar-lhes reles é demasiado suave.