quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Da mentira à transformação do triplo em quádruplo ‘B’

A ‘swinger dos swaps’ e o demitido S.E. Pais Jorge (um ex-Citigroup, especialista em swaps, derivados, futuros e afins negociados com o Estado), afinal mentiram no Parlamento ou, como Assunção Esteves gosta de enfatizar, a ‘Casa da Democracia’ - a conclusão foi da PGR e serve de base às críticas do PS.
Noticia o ‘Jornal de Negócios’ que ‘Vendas a retalho em Portugal registam maior queda da União Europeia em Agosto’ – 6,2%, acrescento eu.
Tudo isto só pode ser causado pelas deliberações do Tribunal Constitucional, como insinua leve, levemente, o patriota Barroso; ou como ajuíza, à falta da reforma do Estado, o intelectual despenteado, por dentro e por fora, Barreto;  ou ainda como afirmou em brilhante reflexão de Estado Social e totalitarismo o Branco, citando Francisco Sá Carneiro, o único cuja memória respeito.
Sou do tempo dos dois bês: ‘BB’ de Brigitte Bardot. Agora em vez de dois são três: BBB. Acrescento, contrariado por usar o palavrão, um quarto 'B' de ‘Bardamerda’… para o Barroso, o Barreto e o Branco. 
Do triplo passo a quádruplo, sem necessidade de usar outro apelido. ‘Beleza’, por exemplo.