sábado, 10 de outubro de 2015

Uma dor imensa: a partida de João José Cardoso do 'Aventar'

Tivemos divergências. Contudo, a forte amizade e a comunhão de valores da vida prevaleciam, e de que maneira, sobre as pequenas quezílias que episodicamente nos dividiam. 
Na verdade cristalina, ambos lutávamos por uma sociedade mais justa e respeitadora dos direitos humanos; independentemente de diferenças sociais, étnicas, políticas e religiosas - nem ele, nem eu éramos crentes - que a nossa sociedade aglutina e instrumentaliza para marginalizar os mais frágeis e robustecer os poderosos. 
João José Cardoso era um homem de personalidade forte e indomável. Dotado de um nível cultural elevado, desde cedo que na sua vida, em sintonia com a irreverência coimbrã, lutou, denunciou e foi solidário com quem mais sofria pelas obscenas desigualdades neste perverso mundo em que caímos. Com pouco mais de meia-dúzia de euros no bolso, não resistia a ajudar os desvalidos que, à porta do supermercado ou do café, lhe pediam uma ajudinha para comer. E o JJ, como era conhecido pelos amigos, não claudicava no auxílio àqueles que dele careciam.
O JJ faleceu. Gelei quando tive a confirmação. Partiste, mas seja para onde for, estarei sempre contigo. Adeus João José Cardoso. Até um dia destes, homem bom. 
Que imensa dor esmaga o meu espírito!