quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Gaspar: de firme passou a inseguro

GasparDe ministro sábio, versado em complexas técnicas de matérias financeiras e macroeconómicas, e ainda proclamado competente na regularização das contas públicas, Gaspar revelou-se até à pouco um tecnocrata firme, não hesitando mesmo em usar o humor – que só poderia ser negro – para lançar farpas à oposição; e, sobretudo, provocações aos cidadãos pelas medidas austeras, brutais, desumanas com que, ao longo do tempo, foi dizimando as frágeis condições de vida de milhões de portugueses.

De súbito, e fruto de incompetência demonstrada por múltiplos objectivos falhados, o ministro de finanças adoptou um comportamento humilde e advertiu:
Nunca antes lhe ouvíramos abjuração do género. É o pressentimento de que vai falhar e de pantufas, no silêncio dos objectivos frustrados, começa a preparar-nos para outro castigo: 800 milhões de euros de austeridade adicional em 2013 que mais não são do que a primeira etapa do corte dos tais 4 mil milhões com que ele e a ‘troika’ estão obcecados.
Segundo o ‘Jornal de Negócios’, ficamos a saber que a dívida pública portuguesa, em 2012, se fixou em 122,5%, portanto acima das estimativas de Gaspar e da dita ‘troika’.
Desaire após desaire, o ministro das finanças teima em piorar a situação do País. E o PR a olhar…para o lado.