sábado, 11 de junho de 2011

Com Christine Lagarde no FMI, viveremos "à Lagardère"

A ainda Ministra das Finanças francesa, Christine Lagarde, veio hoje a Portugal. O objectivo foi colher apoios, da troika PS+PSD+CDS, à eleição para directora-geral do FMI, a fim de substituir o compatriota Dominique Strauss-Khan, homem suspeito de descontrolados comportamentos sexuais.
A, por ora, simpática Lagarde em solo nacional afirmou:
Portugal não vai apenas sobreviver mas até crescer com o pacote de austeridade
Os portugueses podem, portanto, ficar mais tranquilos. A austeridade, neste caso, significará viver "à Lagardère". Quem melhor que uma Lagarde para o assegurar? O grave é que isso é falso e as consequências serão para milhões de portugueses e não para ela.
Trata-se de uma mulher que sempre nadou bem e tem o dom de viver mais bem ainda. Sempre "à Lagardère". Nós, pelos vistos, também. Só se for a crescer nas desgraças, digo eu.