sexta-feira, 17 de junho de 2011

Yé, Yé, Yé, a Cristas é que é!






Mistério e suspense usam-se, normalmente, em histórias bem construídas. Quando se vivem momentos de formar novo governo, cada órgão de comunicação social corre desesperadamente para o lugar de pioneiro na divulgação dos nomes ditos ministeriáveis. Sempre em ambiente de mistério e suspense. 
Jamais encarei a sério este tipo de competição. De Eduardo Catroga a Vítor Bento, de Sevinate Pinto a Maria de Céu Machado, só para citar uma parte, vários nomes vieram a público, dos diversos que não se confirmaram. E, então, se as notícias são falsas, o melhor é jogar com elas. Fi-lo  neste caso e nestoutro. Talvez tenha sido mordaz. Todavia, se o fiz em relação a Catroga, confesso-me satisfeito; tal é o conceito de ridículo, senil e capaz da mais desbragada linguagem em que tenho esse homem. E, pelos vistos, não apenas eu. A liderança do PSD também o mandou calar e afastar para férias.
Porque não aceitou ou não foi convidado, aqui há mistério, Eduardo Catroga não integrará, afinal, a equipa do XIX Governo Constitucional - o possível de Passos Coelho, segundo o jornal 'i'
Do meu lado, senti alguma frustração: " a quem atribuir o cognome de 'Supercalifragilisticexpialidocious' entre os nomeados?" De súbito, encontrei a solução: Assunção Cristas. A jovem centrista sobraçará a pasta do Ministério da Agricultura, do Ambiente, do Mar e do Ordenamento. É obra! Porém, Paulo Portas, desta feita, poderá ir tranquilo tomar posse em Belém, pois o Mar não lhe causará surpresa.
Sublinho que com Cristas em vez de Catroga, ganhei com a troca. E de contentamento grito"Yé, Yé, Yé, a Cristas é que é! - é o quê? Veremos mais tarde. Porque da governação e do severo programa com que os portugueses serão contemplados, falarei depois. Bem a sério.