quinta-feira, 12 de julho de 2012

Afinal estão todos a tramar Duarte Lima!

“Estou absolutamente inocente”, declarou Duarte Lima á Visão, adiantando um conjunto de argumentos "irrefutáveis" e de diversa natureza. Vamos por partes:
Falta de prova factual
O homem acompanhou Rosalina a Saquarema na noite do crime, citou uma tal Gisele, ou lá como se chamava a criatura, com quem deixou a vítima; a polícia não se deu ao trabalho de localizar a Gisele; disse à polícia não se lembrar da marca do carro que utilizou, nem do stand, pensando – logicamente! – tratar-se de uma conversa informal com a polícia, espécie de bate-papo entre dois chopes e sem gravador; afinal o polícia era malandro, deturpou o facto principal da prova alterando os relatórios periciais… é demais!.
Nesta explanação, o Lima burila a questão de tal modo que a prova factual se evaporou. – Sim, se evaporou meu bem. – disse-lhe a cabrocha amiga no ouvidinho, em atitude de conforto.
Investigação por encomenda
A polícia de investigação criminal brasileira é indolente; só trabalha por pressão e encomenda; mas é moderna, usa Internet para recepcionar pedidos de investigação; não se sabe qual o meio utilizado, mas Lima garante que a investigação foi feita a pedido de Olímpia e do afilhado de Rosalina e a polícia ajudou a urdir a trama.
Conclusão: todos contra o Lima, até os policiais como se diz no lado de lá. O facto de Rosalina, que na noite do crime esteve com Lima, ter sido morta é irrelevante para a investigação; o importante e grave é o caso ter sido investigado por encomenda. – Sim, meu bem, você está certo, tudo foi encomendado. – aprovou a cabrocha meiga com novo  gesto de consolo.
Final do episódio
Ficámos a saber que, afinal, todos estão a tramar Duarte Lima – Olímpia Feteira, o afilhado da Rosalina e até a polícia brasileira. Aguardemos os desenvolvimentos.
Outras histórias
Sobre outros casos em que está envolvido, BPN e ‘Monte Branco’, Lima achou inoportuno falar. Falará, porventura, lá mais para a frente. Não se sabe quando. A justiça portuguesa já enfrenta dificuldades de tempo para burilar peças menos dúcteis, quanto mais uma lima desta espécie!