quinta-feira, 12 de julho de 2012

A Democracia Iliberal em expansão na Europa

manifestação em madrid
Fonte: Jornal ‘Público’
Fareed Zakaria, ensaísta e jornalista editor da ‘Newsweek International’, faz uma espécie de decantação de dois conceitos, normalmente imbricados: democracia e liberdade.
A democracia corresponde à vontade expressa pelo povo em eleições livres e justas. Segundo o ensaísta, a liberdade, ao contrário do que se pensa, nem sempre caminha de  mão dada com a primeira. Dá os exemplos de Hitler e de Hugo Chavez, democraticamente eleitos, para ilustrar a teoria que sustenta.
Se Fareed actualizasse o texto do livro ‘O Futuro da Liberdade’, teria de contextualizar o que hoje se passa em diversas sociedades europeias, em termos de repressão de liberdades. Aplicando aos fenómenos de violência policial na Europa o conceito do que ele classifica de ‘democracia iliberal’.
Rajoy, como políticos gregos, italianos e portugueses, não foi sufragado para se valer de brutais acções de violência policial sobre manifestantes que contestam a austeridade, ou seja, o desemprego real ou potencial, a precariedade das relações de trabalho, a carestia da vida em crescendo, a pobreza e até a miséria em expansão.
Sucede que Rajoy, para vencer o sufrágio, contestou publicamente a hipótese de aumento do IVA ponderado por Zapatero, prometendo, pois, não tomar essa e outras medidas adversas aos cidadãos. Uma vez ludibriados, estes protestam. Qual a surpresa?
Cá como lá, a receita cega e socialmente insensível da austeridade está a dar origem a climas e confrontos sociais e físicos que, infelizmente, os políticos do poder e parte da oposição se mostram incapazes de entender. Um dia perceberão à força, muito possivelmente.