quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ontem em Espanha, Sábado em Portugal – abaixo a classe política da austeridade


Condeno a violência e a brutalidade, de que a força policial de 1.300 “gorilas” foi triste exemplo. De bastão em riste, desancaram sobre cidadãos indefesos, de todas as idades, que ontem se concentraram frente ao edifício do Congresso, em Madrid. Condeno, mas não a temo.
Sem temor e conscientes de que as razões para lutar estão do nosso lado, eu e certamente muitos milhares de portugueses voltaremos à rua por razões idênticas àquelas que levaram uma multidão de espanhóis a manifestar-se em Madrid.
A PSP, através de um dirigente sindical, já declarou à imprensa que  agentes da corporação integrarão a manifestação. Satisfez-me saber. Cenas como as de há algum tempo no Chiado não devem repetir-se. Os legítimos direitos sociais e económicos é motivo transversal e suficiente para todos reivindicarmos novas políticas e determinação aos nossos políticos para exigirem  do FMI, da CE e do BCE diferente prescrição contra a crise. O caminho traçado levará cada vez mais famílias e cidadãos isolados ao desemprego, à pobreza e até à miséria. Aqui e em todos os países onde a sinistra ‘troika’ tem ou irá intervir.
Sábado próximo, independentemente das filiações e cores partidárias, de ser independente ou não, é imperativo sair à rua em força e prosseguir a luta iniciada, no país inteiro, em 15 de Setembro. O POVO UNIDO JAMAIS SERÁ VENCIDO!