quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Ora viva a Dra. Cristas!

A aberração

O MAMAOT, o multifacetado ministério da Dra. Cristas, chumbou o abjecto projecto do Terminal de Alcântara. Decidido sem o menor respeito pela cidade de Lisboa e com muitas dúvidas de negociata a privilegiar a Mota-Engil, o projecto mereceu grandes reservas a vários sectores de opinião. Será oportuno lembrar a luta da arquitecta Helena Roseta pela anulação do negócio em 2009.
Sou muito crítico do governo actual, em função de dúvidas e certezas quanto ao desfecho das políticas de austeridade e alienações de património do Estado por valores irrisórios. Congratulo-me, contudo, com a medida de Secretário de Estado, Pedro Afonso Paulo, ao travar a construção de uma megalómana estrutura de contentores, junto ao Tejo e num dos locais mais emblemáticos da paisagem lisboeta.
O Dr. Jorge Coelho, socialista?, viu o nebuloso negócio desfeito. Ainda bem. Ora viva a Dra. Cristas! Assim, houvesse outros motivos para saudar o governo.