segunda-feira, 13 de agosto de 2012

E se lhe pregassem idêntico susto


o monstro
Figura imaginária do ‘Monstro de Queluz’
Por princípio, sou adversário da pena da morte. Todavia, ao tomar conhecimento da hipócrita justificação – “só queria assustar” - do tenebroso autor do triplo homicídio de Queluz, é irresistível perguntar:
“E se pregassem a tal monstro idêntico e tamanho susto?”
Confesso que vacilo entre o sim e o não, na resposta.