sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Quem coloca a barreira é o Jardim

Alberto João Jardim avança a barreira do défice

Ofereçam Madeira de vez ao Jardim! A ele, ao Jaime Ramos e a todos afilhados e acólitos do tirano poder ilhéu. Preferível a doação a sermos nós, os portugueses do Continente, a pagar favas e contas do descabelado político laranja.
Como a imagem ilustra, é de Jardim o poder de colocar as barreiras e definir limites. Ele manda e quem paga somos todos nós. Esta notícia, de grosseira ocultação e trafulhice nas contas públicas da Ilha da Madeira, refere-se a centenas de milhões de euros gastos e não manifestados nas finanças do Estado.
O poder laranja assobia para o lado, como é habitual. Passos Coelho ainda vai dar uma ajudinha à reeleição do artista. Mas, quanto a acção judicial, nada se passará. O Tribunal de Contas não tem poder sancionatório e, de resto, o Alberto João é inimputável. Este tipo de casos, em Portugal, resolve-se com paciência e dinheiro; porém, a larga maioria dos portugueses já não tem uma coisa, nem outra.