quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Portugal não é a Grécia, mas Lisboa e Madrid são Atenas

O infundado, quanto estafado, argumento de que ‘Portugal não é a Grécia’, propalado com ridícula presunção, fica-se pela dimensão manipuladora e falsa que o gerou : PROPAGANDA DESONESTA!
Recatamente, testemunhei o que se passou em frente à Assembleia da República.
Sem dificuldade, concluí que nos percursos da existência humana, dos estilos de vida confortáveis à pobreza, ou mesmo à miséria, o comportamento dos povos, ainda por cima numa Europa de cultura e níveis vanguardistas de civilização, é mais predominante o que os identifica daquilo que os distingue.
Histórica e socialmente, os movimentos de contestação, com actos de maior ou menor revolta anti-poder, registam o mesmo estado de ebulição, desde que provocados pela mesma super-temperatura ultraneoliberal da ilimitada austeridade. Chame-se ‘troika’ ou outra designação de sentido nefasto.
Para comprovar que, uma vez programados e consumados os processos anti-humanitários, a geografia da contestação não se sujeita a condicionalismos de qualquer espécie, excepto a efervescência social. Madrid viveu hoje cenas idênticas às de Lisboa:
 El Pas
Fonte: ‘El País’
O “rincão” Cavaco disse que, a apesar da Greve Geral, esteve a trabalhar – trabalha nos dias de greve que são matematicamente muito minoritários se comparados com as jornadas activas.
Por sua vez, o  Coelho disse que não viu distúrbio frente à AR – veja o vídeo acima reproduzido e aprenda, definitivamente, a ser um homenzinho crescido e a pautar as atitudes e acções pela verdade. A não ser que tenha a ambição de regenerar o Salazarismo e, nesse caso, a conversa é completamente diferente… (vamos à luta!)