segunda-feira, 11 de julho de 2011

Coelho caçador

'Coelho à caçador' é dos meus pratos preferidos. Frugal como o programa do Governo. Um petisco que acaba de ter na política um ícone de designação parecida: "Coelho caçador".
Com efeito, aqui é anunciado que Pedro Passos Coelho vai à caça dos 'boys' de Sócrates. Trata-se de um golpe de ilusionismo para distrair da imoralidade e da falta de ética que, igualmente, o PSD cometeu. Muitas vezes, em estreita conivência com o PS. Mira Amaral, o actual Faria de Oliveira - indemnizado pelo IPE e colocado na presidência da CGD - são apenas dois exemplos da falta de vergonha laranja. Já nem falo em Mexia e dos seus apaniguados da EDP.
O número exagerado de Secretários de Estado (36), hoje denunciado por Ângelo Correia - imagine-se -, também pode ser indício de que, resultado da aplicação do factor 36 e de outros factores menos conhecidos, o produto final, como é tradicional, corresponderá a um número elevado de 'boys'. Ainda por cima em competição com o CDS, que pela voz de Sílvia Ramos da distrital de Beja, logo após eleições, incitava os companheiros centristas a correr aos lugares.
Temos, assim, uma espécie de Macartismo à portuguesa, de cada vez que funciona a tal alternância entre PS e PSD ou PSD-CDS. Provavelmente será resultado de um dos primeiros mandamentos das cartilhas das 'jotas'. Curiosamente, tanto para Coelho, como para Sócrates ou Portas, até poderia ser a cartilha da JSD. 
Esta dança de candeiras, velha de 30 anos, tem beneficiado os 'boys' e lesado o País. Vamos lá ver o que é que o DR na Série II vai publicar de nomeações. Talvez o caçador morra pela boca da colatra.