terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O 31 armado aos cágados

O ardiloso Moita de Deus também tem méritos, reconheça-se. É do Belenenses como eu e iça a preceito o estandarte monárquico no pau de bandeira do município – Cavaco, desajeitado na arte de hastear, como em outras, deixou-nos a nós, republicanos, frustrados e envergonhados.
A Moita de Deus, corre-lhe nas veias o talento da ficção, cinematográfica ou romanceada na blogosfera. De súbito, por Ana Drago ter solicitado ao governo informação vasta do processo de privatização da TAP negociado e gorado com Efromovich, fez da deputada uma aliada do judeu colombiano-brasileiro-polaco.
Aconselho Moita de Deus a investigar, como eu fiz, a história de homem de negócios  ‘Efro’, os conflitos de negócios e processos judiciais com a Petrobrás, a proximidade a gente do mensalão - por exemplo, a um tal Dr. Dirceu, amigo.. de quem, de quem? Esquece-me agora o nome, porra!… oh é esse mesmo cara).
Quando está em causa o interesse nacional, imanente do valor estratégico da portugalidade no mundo da TAP, ousar transformar-se em artificioso criador de patranhas equivale a armar-se aos cágados – mais concretamente, temos o 31 armado aos cágados.
(Declaração de interesses políticos: não sou militante de qualquer partido, mas apenas republicano e democrata)