terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O Seara também é contribuinte, bolas!

Na campanha eleitoral, ao estilo populista de Paulo Portas, o CDS ufanava-se, alto e bom som, de ser o ‘partido dos contribuintes’.
Chegado ao governo, em aliança com o PSD de PPC e Relvas, tramou os contribuintes. Faltou à palavra e às promessas ao eleitorado – diga-se, em abono da verdade, tratar-se do modelo hodierno de fazer política, de que Juncker, apanhado às escuras num canto por jornalistas, constituiu mediático exemplo. Quase violavam o senhor, coitado!
Ao ouvir promessas ou ler programas eleitorais, em especial dos partidos do arco do poder que de arte burlesca têm maior experiência, é aconselhável estar de pé atrás. Convém, pois, prepararmo-nos para que façam exactamente o inverso do que escrevem ou proclamam em feiras, romarias e nos tais almoços e jantares partidários, onde aparecem a tia Maria e o tio Zé a dizer que a comida estava muito boa e não pagaram nada. Nem o transporte que os trouxe de ida-e-volta entre Freixo de Espada à Cinta e Viseu.
Oponente a novas candidaturas de autarcas com três mandatos cumpridos, mesmo a uma autarquia distinta da que dirigiam, o CDS, impudente como de costume, deixou cair o princípio por que dizia bater-se, ao deliberar apoiar Seara à Câmara de Lisboa.
Nada de diferente se esperaria de Nuno Melo, Hélder Amaral e do companheiro benfiquista Telmo Correia, a quem foi confiada a árdua tarefa ajudar um homem que, pelo sua histórica pública, é dos casos mais vergonhosos da ‘tacharia nacional’.
Comentador desportivo, que confessa assistir a jogos de futebol às 4 horas da tarde no gabinete da presidência do município de Sintra, de que não é morador assim como não é de Lisboa, Seara é o eleito pela coligação governamental para concorrer com António Costa, outro benfiquista, à Câmara Municipal de Lisboa… Ah!, e tem o decisivo e generoso apoio de Miguel Relvas (companheiro do Reveillon do Copacabana Palace).
Mas, em terra lusa, palermas que falam atabalhoadamente de bola, com um pouco de baba a sair-lhe dos lábios, há muitos; porém, Seara é o maior e além disso temos de entender que o homem também é um contribuinte, bolas! O CDS, a outros pode pejorar, mas ao Seara nem pensar.
(Obs.: Os benfiquistas que me desculpem as citações, mas o clube nada tem a ver com o assunto. Seara a rondar Filipe Vieira e outros dirigentes e figuras destacadas do clube é que é, de facto, a atitude do bajulador interesseiro que me repugna e justificativa das citações)