sábado, 1 de março de 2014

A Europa não é para feios!

Nas próximas ‘europeias’, Portugal terá direito apenas a 21 lugares no Parlamento Europeu. A redução deve-se ao ingresso da Croácia na UE.
Por outro lado, segundo as diversas sondagens, a probabilidade da coligação PSD+CDS eleger mais do que 7 deputados é mínima. Portanto, sendo o 8.º lugar atribuído ao CDS, quem for seleccionado para o ocupar tem limitadíssimas hipóteses de ser eleito.
No dilema, Paulo Portas, de reconhecido e aguçado sentido estético, serviu-se do belo e do feio para definir o critério de escolha. Nuno Melo, o belo, esse foi privilegiado com o 4.º lugar. Por sua vez, Diogo Feio, o feio, foi atirado para a tal 8.ª posição, sob grande risco de ficar de fora.
Irritado, o Feio clamou por justiça, argumentando ter desempenhado o mandato em vias de terminar com dedicação, esforço e eficácia. Pretendia ser o 7.º da lista.
Portas, também encolerizado (ai, é um perigo…) disparou uma resposta efusiva: - Pois é, foste para lá porque eu na altura não estive para me incomodar, mas, agora, decidi afinar o critério – sorveu dois goles de água, respirou fundo e prosseguiu – nestas eleições, no CDS, a Europa não é para feios! Ouviste?
Resignado, lá foi o Feio mais feio, na mais feia das noites feias que a política lhe deu. 
(Adenda: Afinal, o Feio ainda se enfeou mais do que eu imaginava; telefonou a Portas e rejeitou o 8.º lugar. O chefe do partido, então, decidiu-se por uma mulher, cujo nome ainda não divulgou. Sempre é mais bonita do que o Feio, chame-se Teresa ou Cecília, Isabel ou Otília e desde que marido ou namorado autorize, tudo bem... ficará por cá - quem será a candidata à eventual derrota?