sábado, 12 de maio de 2012

Bernardo: sonhamos e prometemos por ti

Bernardo, já muitos escreveram e dissertaram bastante a teu respeito. Todavia, jamais expressaram tudo. É impossível. Nem neles, nem em mim há essa capacidade. Tu não és apenas passado. És presente e futuro.
Intemporal, partiste mas ficaste para sempre. Os sonhos dos outros e promessas, afinal também foram e são os teus. Continuarão, na infinidade do tempo, a expressar-se em sons das melodias por ti desenhadas sobre o teclado do piano, em ternos e harmoniosos gestos. O piano nunca ficará silencioso.
Adeus Bernardo! Sonhamos e prometemos sempre contigo, lado a lado.