quarta-feira, 20 de junho de 2012

Quando a 'Bata' bate, bate para vencer…

26 sapatarias encerradas, 146 trabalhadores no desemprego
Ontem – julgo que foi ontem – vi o Álvaro eufórico a anunciar ao país um investimento da SAP de 17 milhões de euros e a criação imediata de cerca de 100 postos de trabalho. “Dentro de 3 anos deverão ser 300”, disse ele a olhar para o lado, na busca de salvadora confirmação.
Hoje, a SIC anunciou o encerramento dos negócios da ‘Bata’ em Portugal e lá vão 146 para o desemprego. Resultado: Bata, 146 – SAP, 100. A ‘Bata’ bateu e com força, mesmo para vencer.
Como se não bastasse o desenlace da ‘Bata’, um rede de lojas de câmbios, segundo o administrador judicial, vai igualmente encerrar e extinguir 150 postos de trabalho.
Perante este panorama, que o governo não controla nem quer controlar – para os neoliberais, o mercado é sagrado e as suas ordens divinas – o inegualável Relvas afirma:
Sim, porque o governo não só não a ultrapassará, como a agrava no dia-a-dia. Relvas, de forma indirecta, regressa ao velho conselho:  “Olhem, emigrem e em força!”.