segunda-feira, 11 de junho de 2012

Vida aos bancos, morte a bebés e idosos

Salvem-se os bancos, depositem-se os bebés nas ‘Rodas dos Enjeitados’ e encorajem-se o empobrecimento e a morte precoce dos idosos. Estes são os paradigmas da Europa dos nossos dias, à mão dos ‘neoliberais’.
Uma prática desumana que se imaginava ultrapassada em definitivo no Século XX volta a estar presente nas sociedades actuais, algumas ditas evoluídas: a Alemanha, a Áustria, a Suíça, a Polónia, a República Checa e Letónia.
Sublinhe-se que, no caso da República Checa, o abandono está institucionalizado através da ‘Clínica GynCentrum’, em Praga. De resto, a própria ONU instigou o governo checo a encerrar esta ‘roda’, contrária, alega, à Convenção sobre os Direitos de Criança.
Os políticos europeus actuais, nomeadamente a Sra. Merkel e incondicionais seguidores,  sob a cultura dos problemas das ‘finanças públicas’ que não solucionam, estão a restituir à Europa os traços mais negros que o Velho Continente viveu entre os anos 1920 e os finais da II Guerra.
Cumpre aos europeus dizer: “BASTA!”